Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Dias que contam

por Dora Sofia, em 14.04.20

 No outro dia vi um vídeo em que, no final se legendava "Não conte os dias; faça com que os dias contem".

E eu encontro sempre beleza nas palavras, quando elas tocam os meus dias.

Vem isto a propósito do trabalho que tenho andado a fazer. Uma bailarina. 

PicsArt_04-13-08.20.57.jpg

Apaixonam-me os detalhes. E a vida refletida nos meus pontos. Nesta imagem, as flores são dos "meus" caminhos; a toalha de renda branca no estendal, a lembrar as ausências de uma Páscoa que passei pela primeira vez em minha casa; o café para me lembrar de marcar o fim do trabalho que agora se estende pelos tempos e rouba tempo a outros tempos; e a bailarina a gritar-me que ainda não é tarde para dançar. Nunca é tarde para dançar. 

E o que é que isto tem a ver com o contar dos dias?

Tudo.  Passou um mês desde que estou fechada em casa. 

O balanço de um mês. O balanço de uma vida. E se isto não acabar? E se se prolongar pelos dias? Pelos meses? Pelos anos? 

Há dois pensamentos que me têm perseguido.  Primeiro, num jogo de família em que se diz a primeira palavra que associamos a uma pessoa, o meu filho (na segunda volta) à pessoa "mãe" responde "escritora", e eu nunca publiquei um livro...

Segundo: nunca aprendi a dançar.  E adoro dançar! Danço de coração, de vontade, com a alma toda, mas nunca aprendi a dançar. 

Talvez seja a hora. 

São estas as coisas pelas quais poderei dizer que estes dias contaram: decidir publicar o meu livro.  Aprender a dançar. 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


As danças que a vida nos dá

por Dora Sofia, em 05.01.20

Conhecem a história da formiga e da cigarra? Sou só eu que imagino quão maravilhosa passa a ser a vida da cigarra, inverno corrido, quando a formiga a manda dançar? 

Sim, há qualquer coisa de extraordinário na fala da formiga "Cantaste durante o verão? Então, agora, dança!" Ora, lição de moral à parte, pois toda a gente sabe que a cigarra sempre arranja quem lhe pague um lanchinho para a ouvir cantar, é notório o tom invejoso da formiga que, tristemente, passou o verão a trabalhar. 

E a cigarra, artista e criativa, deve ter visto ali uma oportunidade extraordinária para se lançar noutro ramo do espetáculo. 

Assim decorrem as nossas vidas. Transformamos obstáculos em oportunidades.  

9.jpg

Além disso, por cá, adoramos dançar!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Como começar

por Dora Sofia, em 04.01.20

Quem segue o Outro lado do crochet sabe como sou adepta de recomeços, e não necessariamente recomeços de início do ano, mas também dos do início do ano. Esses acabam por significar que o tempo é já de mudança e, por isso, fazem mais sentido, com hora marcada. Para começar só é preciso isso mesmo, começar. Foi por isso que decidi juntar-me ao editor da casa e dar vida ao canal o Outro lado do crochet. Mas sabem o que é melhor? Não abandono o blog. Pelo contrário.Tentarei reforçar todas as publicações no youtube, com as explicações aqui no blog.

Vídeo #1. COMO COMEÇAR CROCHÉ?

Neste vídeo explico o passo a passo para iniciar trabalhos em croché. Essencialmente, existem dois métodos distintos para começar: em correntinhas, mais indicado para trabalhos em carreiras; e o anel mágico, muito utilizado em amigurumi, e que deixarei para outro vídeo.

Neste vídeo mostro como segurar a linha, como fazer o ponto inicial e como fazer correntinhas. Aproveito, também, para mostrar como fazer uma pulseira apenas com o ponto correntinha, utilizando missangas na linha.

20200103_163641.jpg

Primeiro: segurar a linha.

20200103_163005.jpg

De seguida, fazer o ponto inicial:

passar a agulha debaixo da linha

20200103_163029.jpg

dar uma volta completa na agulha

20200103_163037.jpg

passar de novo a agulha debaixo da linha e puxar por dentro da argolinha

20200103_163059.jpg

 

e...tcharã... o primeiro ponto fica pronto!

20200103_163213.jpg

Depois, é seguir o mesmo esquema para fazer correntinhas, saltando a volta da agulha, essa não é necessário fazer

E seguir com as correntinhas:

20200103_163242.jpg

se quisermos adicionar uns pós de criatividade, puxamos as missangas, que tivémos o cuidado de enfiar na linha antes de começar o trabalho, e fazemos a correntinha, na linha logo após a missanga. Fácil, fácil. Qualquer dúvida, espreitem o vídeo .

20200103_163446.jpg

 

 

 

20200103_163457.jpg20200103_163418.jpg

E eis o resultado final, uma pulseira, um colarzinho, um laço para um embrulho, um alfinete, um adereço... enfim, um mundo de possibilidades!

Bons pontos!

 

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


À procura dos detalhes

por Dora Sofia, em 30.12.19

O final de 2019 aproxima-se vertiginosamente. Olho para trás e vejo as mil coisas que deixei por fazer, mas delicio-me também com as muitas outras mil que consegui terminar. Barreiras ultrapassadas, dores, lágrimas, mas muitos momentos bons de gratidão. Aos meus amores, à família, aos amigos e a está sublime oportunidade de viver. 

Novos desafios lanço a mim mesma para 2020. Alguns falam ao ouvido deste blog. Em surdina. Quero fazer qualquer coisa com esta criatividade que toma conta das minhas mãos.

20191230_101455.jpg

 

Por agora, vou treinando nos detalhes. Preparem -se, porém.

2020 vai ser um ano fantástico!

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


A bruxa saiu à rua

por Dora Sofia, em 31.10.19

E porque hoje é noite de bruxas, a minha bruxinha saiu à rua.  Pegou na vassoura de baixa cilindrada, pois a noite não permite altos voos. Há  vampiros, zombies, esqueletos, lobisomens e outros horrendos seres com quem repartir as travessuras. 

20191031_222131.jpg

Quanto a mim, vou ali fazer uma doçura para uma princesa. Bem cor-de-rosa e fofinha, de vestido de folhos e lacinhos no cabelo. Sim, sim, aceitei uma encomenda.  Já não recuso uma encomenda. Percebi que vender também pode ser um ato de gentileza. 

Afinal, este é o outro lado do crochet. 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Boneca de outono

por Dora Sofia, em 26.10.19

O outono encheu as ruas de cores e sabores quentes.  Gosto das cores do outono.  Do fogo do verão que se extingue pouco a pouco.  Amarelos, laranjas, castanhos. 

Os dias ficam mais pequenos, mas, em contrapartida, os serões  multiplicam-me os projetos. E este outono trouxe a vontade de criar.  Regresso aos bonecos. Doutra forma. Entre a brincadeira ea criatividade.  Por aqui me perco nas tardias horas do fim de semana ou nas boas horas da madrugada. 

20191026_173541.jpg

20191026_164910.jpg

Depois de muitas experiências, pernas tortas, sapatos retorcidos e cabelos estranhos cheguei a um resultado que me satisfaz, mas que, estou certa, é o princípio de muitas mais experiências que só vêm. 

Gosto tanto. Há TANTO de criativo nestas bonecas. O nome, entre várias hipóteses, será Boneca. A primeira. 

20191026_164553.jpg

Gostam?? 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


inverno e pipocas

por Dora Sofia, em 15.02.19

Pode até parecer que abandonei o crochet. Não. Faço algumas pausas autoimpostas, quando o tamanho do monte da roupa por passar, ou as resmas de papéis para ler são escandalosamente indisfarçáveis, mas regresso. Acabo sempre por voltar, a isto ou àquilo; não resisto a um ponto novo; sou atraída por um crochet que ultrapassa os atoalhados e os picots nos panos de cozinha e que vai muito além das toalhas de mesa que se acumulavam na arca de madeira das avós para enxovais que, por vezes, muitas vezes, não chegaram a ser.

Fascinam-me crochets de estilistas com assinatura; fascinam-me as reinvenções do crochet.

Por outro lado, falta-me o tempo para escrever e manter o blog atualizado. Ou faço crochet. Ou escrevo. Ou ando de mota. Três hobbies inconciliáveis. Por isso, hoje, enquanto vigio a varicela do miúdo, e arrumo as lãs, e procuro linhas que prometem a primavera, passo pelo computador, escrevo estas palavras, mostro a minha aventura no mundo do crochet em forma de roupa para vestir, que a miúda jurava "nem penses que eu vou vestir coisas em croché", e, pouco logo depois, "é bué de gira, mãe, tipo, muito o meu estilo", e fotografo o dia dos namorados que é quando eu quiser, e faço projetos para amanhã e depois, entre o estudo e o trabalho, e os miúdos, e as idas ao IPO com a minha mãe, e o homem da casa, e os amigos, e...

A sweater em ponto pipoca com uns punhos em canelado , linda, linda, na modelo ainda mais linda! O rebordo e as ombreiras pretas, não é estilo, ainda que eu possa até dizer que sim, mas um erro de principiante: a aproximação do final do inverno trouxe aquilo que todos os amantes do croché temem - acabou-se a lã . Por isso, tive de improvisar!!

 

20190215_131118.jpg

20190215_131628.jpg

20190215_130610.jpg

Para amanhã, promessas de dias mais quentes, outras linhas, outras ideias, outro lado do crochet...

20190215_155737.jpg

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Tardes de chuva

por Dora Sofia, em 21.11.16

Com a chuva a cair do outro lado da janela, adivinhava-se uma tarde de lareira e sofá a ver televisão. O problema é que o meu nome e "sofá a ver televisão" não cabem na mesma frase (sim, sim, eu e a televisão temos uma relação de ódiozinho de estimação) e, por isso, e também porque havia tecidos e materiais à espera da chuva já há muito tempo, juntei os trapinhos e improvisei um "querido, mudei a casa" à minha maneira.

IMG_20161119_111424.jpg

Sabem aquelas mesas de centro maravilhosas, de madeira-madeira, de linhas bem direitas e esquinas afiadas que temos de atirar para um canto, quando nasce o primeiro filho, pois corremos o risco sério de cabeças partidas, nódoas negras e pernas esfoladas para sempre, e que mantemos num canto, quando nasce o segundo filho, e o primeiro sobrinho, e o segundo, e os pais vem visitar-te e podem magoar-se e...? Pois, eu tenho uma, ou melhor tinha 

Com a chuva, a mesa ganhou uma esponja, ganhou uma capa e agora é puff-repousa-pés-mesa! Adoro!!

IMG_20161121_122811.jpg

IMG_20161121_123332.jpg

IMG_20161121_123422.jpg

Mas não foi só cá em casa que se anunciaram mudanças na decoração. Também nasceram duas cabeceiras de cama em tecido, para substituir umas de que não gosto particularmente. Mas isto já faz parte du um projeto de transformação maior, uma remodelação de uma casinha na serra . Eu prometo-vos um (ou mais) posts com o antes e o depois completo, mas, enquanto não chega a hora de dar o seu a seu dono, coloco-as aqui, só, só a fazer de conta ,e porque prometi que mostrava os resultados. Bem, pelas fotos, também nem ficavam mal por aqui, não acham?

IMG_20161121_124627.jpgIMG_20161121_124810.jpg

 

...aqui, deste lado do crochet.

 

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Tempos de cão II (modo inverno)

por Dora Sofia, em 21.11.16

Não tenho dedicado muito tempo ao crochet. É verdade! Não é que não haja vontade, mas eu sou tão viciada em crochet que, quando tenho outros projetos, tenho de me obrigar a fazer uma pausa. Obriguei-me pois a deixar as linhas um pouco de lado, as de crochet, entenda-se! Mas já está quase, quase, quase a chegar a hora de voltar e, entretanto, e porque as mãos são hiperativas, vou-me enredando nestas linhas da costura, para fazer miminhos à pequenita mais pequenina da casa.

Passados que estão os dias de calor, o frio obrigou-me a tomar medidas drásticas em relação à casota que me tinha atrevido a fazer. Agora, era urgente criar uma espécie de iglo que mantivesse a pequena aquecida. Procurei uns tecidos, uns enchimentos e umas sobras de esponja de um sofá velho. Estava feito. Há material, há ideias e uma tarde de chuva e faz-se a obra.

O meu objetivo era criar uma casotinha bem aquecida. Então, juntei o tecidos e coloquei entre eles a tal lã de vidro, ou enchimento, que andava por aqui desde um destes últimos carnavais em que tive de improvisar um fato para o miúdo. 

IMG_20161121_113054.jpgIMG_20161121_113105.jpg

 

Depois, cortei placas de esponja à medida e meti-as lá dentro:

IMG_20161121_113657.jpg

 

Por fim, foi só chulear e costurar com a máquinas. Linhas muito a direito, a comprovar que, como digo sempre, eu não sei costurar, apenas tenho vontade de saber.

IMG_20161121_115903.jpgIMG_20161121_120518.jpg

 

É claro que se houver algum pormenor que não resulte, alguma ideia que não se consiga concretizar com os (poucos) conhecimentos de costura, também não é caso para desistir, improvisa-se! Pega-se numa agulha de mão e fazem-se uns pontinhos mais "aldrabados". Afinal, é só uma casota de cão, não é nenhum vestido de noiva !!

IMG_20161121_121652.jpgIMG_20161121_122131.jpg

 

O que importa é o resultado final e esse está como se quer: quentinho, quentinho. Agora, é só juntar uma mantinha (isto é, um pedaço de pijama polar velho) e uma cadelita friorenta .

IMG_20161121_122509.jpg

Ela andou às voltas, às voltas, até acabar por se esconder completamente. Não consigo tirá-la de lá, e isso deve querer dizer alguma coisa 

 

 

... aqui, deste lado do crochet.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Tempos de cão

por Dora Sofia, em 15.09.16

Às vezes, muitas vezes, até eu desconfio de como consigo roubar assim tempo ao meu tempo. Mil coisas para fazer e as ideias não me deixam. Um tecido antigo, um pouco de acolchoado, linhas e uma máquina de costura. Lá fora ouço a cadela ladrar.

IMG_20160915_170801.jpg

O resultado foi o esperado, mas a filhota avisa "Tens noção de que ela vai destruir isso tudo, não tens?" Uma sombra cai sobre o meu sorriso.

IMG_20160915_191041.jpg

Sim, bem sei que ela é uma cachorrinha ainda, mas a danadinha não se habitua a nenhuma cama... Experimento, e leio-lhe a reação. "Foi isso que estiveste a fazer? E serve para quê? Posso comer? Posso cheirar? Hummm... cheira a ti...

IMG_20160915_191139.jpg

IMG_20160915_191202.jpg

E também posso entrar... Está tão quentinho aqui dentro, parece mesmo o teu colo...

IMG_20160915_191209.jpg

Isto é muito bom! Olha, já não vou sair... fico aqui! Deixas? Deixas?"

IMG_20160915_191222.jpg

Talvez amanhã só haja farrapos a decorar a casa, como vem sendo hábito, mas hoje ela está lá... ainda. Não quer sair e ainda não roeu nada. Talvez seja um bom sinal. Quanto a mim, estou preparada para a máquina de costura e as experiências de decoração que quero fazer :-D. Por outro lado, tenho um monte de roupa para passar, que sobrou do tempo que roubei ao tempo.

... aqui, deste lado do crochet.

Autoria e outros dados (tags, etc)


Amores. Manhãs de sol, tardes de sol, noites de luar. Cheiro da chuva na terra. Cheiro do vento no mar. Livros. Praia. A vista da minha janela. Lareiras. Conversas.

foto do autor



Instagram

Instagram


Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D